objectiva

 

“Com os sapatos de dançarino calçados, o laço posto e todo perfumado, Manuel Guerreiro, de 79 anos, prepara-se para a sua aula de cha cha cha. Gabriel Freitas, com os seus 81 anos, já está sentado com a esposa à espera que a aula de Sociologia comece.

Depois de uma sessão de ioga, é altura de Felisbela Almeida, de 64 anos, dar “um carinho como sobremesa” aos doentes do Hospital de Santa Marta, em Lisboa. A escrever à mão um artigo sobre o filme O Quinto Império – Ontem como Hoje de Manoel de Oliveira, está Vítor Cardoso, de 76 anos. Este é o Ano Europeu do Envelhecimento Activo e da Solidariedade entre Gerações e 30% dos mais velhos está em actividade, diz um estudo coordenado por Manuel Villaverde Cabral, director do Instituto do Envelhecimento da Universidade de Lisboa (UL).

São “uma minoria”, diz Villaverde Cabral. O estudo intitulado “Processos de Envelhecimento em Portugal: Usos do tempo, redes sociais e condições de vida” foi apresentado pela primeira vez no mês passado, durante o 50.º aniversário do Instituto de Ciências Sociais da UL. Mil pessoas com mais de 50 anos foram inquiridos em 2011.”

Continue a ler aqui este trabalho do Público sobre o envelhecimento activo e as universidades seniores.